INOVAGRI Meeting

2017 Fortaleza/Brasil 2 a 6 OUT

Palestrantes Home

Chandra A. Madramootoo

Chandra A. Madramootoo possui mestrado e doutorado em engenharia agrícola pela Universidade McGill (Canadá). Ingressou na Faculdade de Ciências Agrícolas e Ambientais em 1984 e foi nomeado para um “James McGill Professorship” em 2000. Criou o Centro Brace para Gestão de Recursos Hídricos em 1999 e foi o Diretor Fundador. Nessa função, ele obteve financiamento para projetos de grande escala, multidisciplinar, nacional e internacional de água, meio ambiente e mudanças climáticas.
Foi Presidente da Comissão Internacional de Irrigação e Drenagem (ICID) de 2008 a 2011 e vice-presidente da ICID de 2000 a 2003.
Recebeu diversos prêmios dentre eles podemos citar: James McGill Professor (2015-2022)
Drainage Hall of Fame; Queen Elizabeth II Diamond Jubilee Medal; Fellow, ASABE e Fellow, CSBE
As áreas de especialização incluem gerenciamento de água, irrigação, drenagem, pesquisa agrícola, desenvolvimento da agricultura internacional, hidrologia e qualidade da água, desenvolvimento de tecnologias inovadoras e os impactos das práticas de manejo de água nas emissões de gases de efeito estufa. Supervisionou mais de 80 alunos de pós-graduação, autoria ou co-autoria de mais de 200 artigos de revista com referência, e foi convidado para cerca de 100 apresentações em conferências nacionais e internacionais.

 

Sergio Rodrigues Ayrimoraes Soares

Possui graduação em Engenharia Civil e mestrado em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos pela Universidade de Brasília (2002). Atualmente é gerente de estudos e levantamentos – Superintendência de Planejamento de Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas. Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em planejamento de sistemas de saneamento e tratamento de águas residuárias, atuando principalmente nos seguintes temas: esgotamento sanitário, abastecimento de água e recursos hídricos.

 

DanieleZacaria.1
Daniele Zaccaria

Assistente de Extensão Cooperativa no Departamento de Terra, Ar e Recursos Hídricos, da Universidade da Califórnia, Davis, especializado em gestão da água na agricultura e irrigação. Zaccaria completou seu Ph.D em engenharia civil e ambiental na Universidade Estadual de Utah. Ele atuou como Scientific Officer no Centro Internacional de Estudos Avançados do Mediterrâneo Agronômica na Itália antes de ingressar na faculdade UC Davis em 2013. Seu trabalho se concentra em unir soluções modernas de gestão da água na agricultura para melhorar a eficiência dos recursos na agricultura irrigada. A eficiência dos recursos visa dissociar o crescimento económico encargos ambientais. Quando este conceito é aplicado à agricultura irrigada, isto exige que o projeto e gestão de sistemas de irrigação permitam aos produtores a aumentar os lucros econômicos de atividades agrícolas, sem gerar efeitos ambientais adversos. Ele ajuda os agricultores a otimizar a gestão do solo, água e energia, e encontrar as melhores práticas para irrigação eficiente e sustentável. Quando o trabalho é ao nível de distrito e de projeto, ele utiliza abordagens analíticas para a avaliação de indicadores e modernização dos sistemas de irrigação. Seu objetivo final é melhorar a gestão da água na agricultura irrigada na Califórnia, usando abordagens de resolução de problemas em cooperação com os produtores, organizações de agricultores, conselheiros municipais e órgãos de gestão da água.

 

snyderRichard Snyder

Ph.D. em Climatologia Agrícola pela Universidade do Estado de Iowa, Ames, Dr. Snyder possui especialidade em biometeorologia, climatologia, manejo da irrigação, modelagem de evapotranspiração, proteção contra geadas, balanço de energia em áreas irrigadas e análise de riscos climáticos. Foi um dos criadores do California Irrigation Management Information System (CIMIS). Atualmente é especialista em Meteorologia da University of Califórnia, Davis e trabalha com o Departamento de Recursos Hídricos da Califórnia em diversos Projetos.

 

Cayle Little

Mestre pela UC Davis em Horticultura e Agronomia, onde se especializou em relações hídricas de plantas. Bacharel pela CSU em Ciências da Agricultura, e tem estado ativamente envolvido na produção agrícola. Cayle é membro cientista do Departamento de Recursos Hídricos da Califórnia no Uso da Terra e da Água. Sua principal responsabilidade inclui liderar o projeto coeficiente de cultura. Isso implica planejamento e implementação de estações, treinando e ajudando a equipe regional e colaboradores, gestão de coleta de dados, análise de dados, equipamentos de calibração, pesquisa e integração do produto. Ele também é responsável pela calibração, manutenção, pesquisa de produtos e de integração, bem como treinamento e suporte técnico dentro do programa CIMIS (ETo).

 

snyderCelestina Maria Gago Pedras

Doutora em Ciências Agrárias, Especialidade Engenharia Rural, pela Universidade do Algarve, Mestrado em Engenharia da Rega e dos Recursos Hídricos pelo Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa. É Professora na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve – Portugal. Sua área de pesquisa concentra-se no uso eficiente da água e avaliação dos impactos económicos e ambientais; Gestão racional da água de rega e programação das necessidades hídricas das culturas no âmbito agrícola e dos espaços verdes; Modelação dos usos/consumos de água à escala local e regional; Sistema de Apoio à Decisão.

 

Richard AllenRichard Allen

Richard G. Allen possui Ph.D em Engenharia Agrícola e Engenharia Civil pela University of Idaho. Atualmente é professor de Engenharia de Recursos Hídricos da Universidade de Idaho. Anteriormente foi professor na Iowa State University e mais efetivamente na Utah State University. Sua especialidade é estimativa da evapotraspiração, eficiência da irrigação e hidrologia. Autor do Manual 56 da FAO (Allen et al., 1998) e um dos autores do ASCE Practices Manual 70 “Evapotranspiration and Irrigation Water Requirements”. Dr. Allen tem se concentrado no desenvolvimento de abordagens baseadas em solucionar problemas relacionados à água na agricultura, principalmente em evapotranspiração sobre grandes áreas via imagens de satélite e desenvolve técnicas de aplicação do modelo METRIC e de outros modelos de evapotranspiração via imagens de satélite. Dr. Richard Allen trabalhou como membro do Landsat Science Team (NASA e U.S. Geological Survey), como consultor para as FAO, Organização Meteorológica Mundial, USAID e para os governos de Portugal e da Espanha. Ele tem realizado pesquisas e consultorias na Índia, Paquistão, Jordânia, Iêmen, Marrocos, Egito, Turquia, Peru, Brasil entre outros. É atualmente o nome mais citado no Google Scholar no tema “irrigation”.

 

Ayse-Kilic.1Ayse Kilic

Dra. Ayse Kilic é professora associada de Engenharia Civil e da Escola de Recursos Naturais da Universidade de Nebraska- Lincoln ( UNL). Sua pesquisa se concentra no desenvolvimento de abordagens e ferramentas baseadas em física para resolver problemas relacionados com a água, incluindo o consumo de água em grandes áreas, utilizando balanço de energia baseado em satélites. A equipe de pesquisa da Dra. Kilic mantém uma estreita parceria com os Distritos de Recursos Naturais para o desenvolvimento e aplicação do METRIC, modelo baseado em evapotranspiração por satélite. Já trabalhou com sensoriamento remoto por satélite para consumo de água de vegetação por mais de 7 anos e tem feito aplicações de evapotranspiração em três países. É membro da Equipe Científica do Landsat USGS / NASA e trabalha com o Google Earth Engine em aplicações para a gestão da água baseada em satélite. Ela ensina Hidrologia , Sistema de Informação Geográfica (SIG) e SIG em cursos de Recursos Hídricos na UNL . Dr. Kilic (anteriormente Irmak ) tem Ph.D e Mestrado em Engenharia Agrícola e Biológica. Universidade da Flórida. Gainesville , e Bacharelado em Engenharia da Irrigação e Estruturas Agrícolas, pela Universidade de Cukurova, Adana , Turquia.

 

Tangerino.1Fernando Braz Tangerino Hernandez

Graduou-se em Engenharia Agronômica (1987) e Mestrado (1991) em Agronomia (Produção Vegetal) pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal – UNESP (1987) e Doutorado em Irrigação e Drenagem pela Escola Superior Luiz de Queiroz – USP (1995). É Professor Titular da Universidade Estadual Paulista – Campus de Ilha Solteira. Foi Chefe do DEFERS – Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos no período de 2001 a 2003 e 2005 a 2009. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: sistemas de irrigação, agrometeorologia, hidrologia e fertirrigação. Leciona as disciplinas de Irrigação e Drenagem no curso de Agronomia e Manejo e Operação de Sistemas de Irrigação no curso de Pós-Graduação em Sistemas de Produção na UNESP Ilha Solteira. É Relator Ad-Hoc de algumas Revistas Técnicas brasileiras e também da FAPESP.

 

Marlos de Souza

Marlos de Souza é formado em geografia/engenharia florestal, com mestrado em ecologia, pela Universidade de Brasília, fez doutorado em gerenciamento de recursos hídricos, na Universidade de Melbourne e pós-doutorado no Royal Melbourne Institute of Technology também de Melbourne, na Austrália, onde morou do ano 2000 até recentemente, quando mudou-se para Roma, na Itália, para assumir o cargo na  Plataforma de Recursos Hídricos; Divisão do Solo e da Água;  da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

 

Jorge Ferreira

O Dr. Jorge FS Ferreira é formado em Engenharia Agrícola, MS em Frutas tropicais e um Ph.D. Em Horticultura pela Universidade de Purdue com ênfase em fisiologia e bioquímica de metabólitos secundários de plantas. Atualmente, Dr. Ferreira trabalha para o US Salinity Lab em Riverside, CA.  Sua pesquisa centra-se nas respostas fisiológicas e bioquímicas das culturas agrícolas (como o morango e a alfafa) ao estresse da salinidade e ao uso potencial de marcadores bioquímicos para identificar a tolerância à salinidade. Ele está particularmente interessado em antioxidantes, açúcares e outros compostos que podem ser produzidos em resposta a altos níveis de estresse (sob a forma de ROS) desencadeados pela salinidade na água e nos solos.

 

Marlos Alves Bezerra

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará, mestrado em Agronomia (Fisiologia Vegetal) pela Universidade Federal de Lavras e doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fisiologia de Plantas Cultivadas, atuando principalmente nos seguintes temas: salinidade, estresse hídrico, fotossíntese, metabolismo de carboidratos, trocas gasosas, cajueiro, meloeiro e feijão-de-corda.

 

André Dias Azevedo Neto

Possui Doutorado em Bioquímica pela Universidade Federal do Ceará. Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e trabalha com Fisiologia e Bioquímica Estresses Abióticos sobre as plantas. Ministra Bioquímica na graduação e na Pós-Graduação. É revisor de diversas revistas nacionais (Acta Botânica Brasílica, Bragantia, Brazilian Journal of Plant Physiology, PAB e Revista Árvore) e estrangeiras (Acta Physiologiae Plantarum, Annals of Applied Biology, International Journal of Environmental Analytical Chemistry, Pedosphere, Scientia Horticulturae). Publicou mais de 38 artigos originais e 18 capítulos de livros. Atualmente seu interesse se concentra em esclarecer mecanismos fisiológicos e bioquímicos que conferem tolerância aos estresses ambientais em plantas nativas e cultivadas.

 

Enéas Gomes Filho

Possui graduação em Química Industrial (1971) e em Engenharia Química (1972) pela Universidade Federal do Ceará (UFC), mestrado em Bioquímica (1976), pela UFC, e doutorado em Biologia Vegetal (1985), pela Universidade Estadual de Campinas. É Professor Titular da Universidade Federal do Ceará, dentro do Programa Especial de Participação de Professores Aposentados da UFC (PROPAP), Editor Associado do Theoretical and Experimental Plant Physiology e consultor de diversas revistas, tais como: Revista Brasileira de Botânica, Acta Botânica Brasílica, Horticultura Brasileira, Bragantia, Journal of Plant Physiology, Environmental and Experimental Botany, Pedosphere, Physiologia Plantarum, Plant Cell Reports. Tem experiência nas áreas de Bioquímica e Fisiologia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: Fisiologia e Bioquímica do Estresse Hídrico e Salino em Plantas (sorgo, milho, feijão, cajueiro, algodão etc), Ecofisiologia Vegetal, Metabolismo e Bioenergética, Metabolismo Oxidativo, Análise Proteômica e Enzimologia.

 

Miguel Urrestarazu Gavilán

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade de Granada (Espanha), PhD em Biologia no programa de Doutorado Agricultura e Meio Ambiente em Zonas Semi-áridas pela Universidade de Almería. Atualmente é professor de pesquisa no Departamento de Produção de Plantas da Universidade de Almer. Autor de mais de 15 livros sobre horticultura protegida, fertirrigação e cultivo não-solo. Diretor Geral do Curso e Mestrado Internacional de Culturas sem solo. Ele é o principal investigador de mais de 30 projetos nacionais e internacionais de órgãos públicos (Ministério da Ciência e Inovação do Governo da Espanha, Ministério da Indústria, Ministério dos Negócios Estrangeiros) e empresas privadas na área da horticultura.

 

Nildo da Silva Dias 

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido, mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande, doutorado em Agronomia pela Universidade de São Paulo – USP/ESALq e Pós doutorado pela Universidade da Califórnia Riverside (UCR) – US Salinity Laboratory . Atualmente é professor Associado II da Universidade Federal Rural do Semi-Árido; Bolsista de Produtividade em Pesquisa – Nível 1 D e Coordenador do Programa de Pós Graduação em Manejo de Solo e Água. Tem experiência na área de manejo ecológico e conservação dos solos e da água, com ênfase em tecnologia sociais de convivência com o semiárido, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar camponesa e educação do campo, reuso de água na agricultura, captação e armazenamento de água, manejo e controle da salinidade na agricultura e reaproveitamento de resíduos biodegradáveis.

 

Tales Miler Soares

Graduou-se (2000) em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), sendo bolsista PIBIC do CNPq em dois diferentes projetos de pesquisa (EMBRAPA/CNPMF e UFBA). Fez os cursos de Mestrado (2004) e Doutorado (2007) em Agronomia na área de Irrigação e Drenagem pela ESALQ/Universidade de São Paulo. Foi bolsista de pós-doutorado DCR pela FACEPE (2007-2008), trabalhando na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), onde já exerceu a função de Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias da UFRB (2010-2012). É coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UFRB. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola e Fitotecnia, com ênfase em manejo da agricultura irrigada. Os trabalhos atuais têm sido conduzidos na temática do aproveitamento de águas salobras em cultivos hidropônicos.

 

Ênio Farias de França e Silva

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras, mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal da Paraíba, doutorado em Irrigação e Drenagem pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado em Conservação de Água e Solo pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor associado do Departamento de Engenharia Agrícola da UFRPE, onde leciona disciplinas da área de recursos hídricos e meio ambiente. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: salinidade, irrigação, solução do solo, fertirrigação e qualidade e reuso de água. Atualmente é Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UFRPE, Coordenador da Rede de Reuso de Esgoto Doméstico Tratado para Produção Hidroagrícola no Nordeste Brasileiro (REREUNE/CNPq) e Pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade.

 

Luciano-Mateos Luciano Mateos

PhD em Agronomia, UCO, Espanha. Desenvolve pesquisa em engenharia, hidrologia de conservação da água de irrigação e do solo em sistemas agrícolas irrigados, em estudo das políticas e práticas de gestão de água que são de interesse social e consistente com a preservação e restauração do ambiente natural. Atua na pesquisa sobre sistemas de irrigação em grandes bacias e pequenos campos irrigados. Parte dessa pesquisa é feita nos países pobres, visando a segurança alimentar e a equidade social. Seus métodos e técnicas de pesquisa incluem testes, monitoramento “experimentos naturais”, modelagem, sensoriamento remoto e análise espacial.

 

Christopher Neale

Christopher Neale

É professor de Engenharia de Irrigação e Diretor de pesquisa no Robert B. Daugherty Water for Food Institute  – University of Nebraska (USA). Seus interesses de pesquisa em desenvolvimento são em aplicações de sensoriamento remoto para hidrologia, agricultura irrigada e de monitoramento dos recursos naturais. Desenvolveu um sistema de sensoriamento remoto de baixo custo que tem sido utilizado recentemente para mapear energia espacialmente e evapotranspiração da vegetação ciliar e agrícolas através de monitoramento aéreo. Realizou o mapeamento e monitoramento de toda a agricultura irrigada na República Dominicana por fotografia aérea e sensoriamento remoto e o desenvolvimento de um cadastro de todos os usuários da água de irrigação em um ambiente GIS. Recentemente realizou estágio sabático, com bolsa da FAPESP, no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Engenharia da Irrigação (INCT-EI) e no Departamento de Engenharia de Biossistemas da ESALQ/USP trabalhando o Sistema de Informação Geográfica do Projeto SAI, no Distrito de Irrigação do Baixo Acaraú, Ceará.

 

 Diego Rivera

Professor Associado da Universidade de Concepción, Faculdade de Engenharia Agrícola. Engenheiro Civil (Universidade de Concepción); Dr. em Engenharia Agrícola, Menção de Recursos Hídricos na Agricultura (Universidade de Concepción); Programa de pós-doutorado em variabilidade climática (Instituto de Gestão de Recursos Hídricos, Hidrologia e Engenharia Hidráulica Agrícola, Leibniz Universität Hannover, Alemanha e Departamento de Engenharia de Recursos Hídricos, Lunds Universitet, Suécia).

 

Denise Fontana

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Obteve o título de Mestre em Fitotecnia e de Doutor em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em sanduíche com a Cranfield University, Inglaterra. Em 2005 realizou estagio Pós-doutoral junto a University of Southern Queensland, Austrália. Atualmente possui bolsa de produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (1D). É professora titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com forte atuação como orientadora de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado). Tem experiência em ensino e pesquisa na área de agrometeorologia e de sensoriamento remoto, atuando principalmente nos seguintes temas: previsão e monitoramento de safras, modelagem agrometeorológica-espectral, relações entre dados espectrais e fluxos gasosos (água e CO2). Atualmente representa a América do Sul junto a Comissão de Agrometeorologia da Organização Meteorológica Mundial (OMM) e é presidenta da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia.

 

6184837337_b673d00f9a_z.1 Dirk Raes 

Dirk Raes é professor de irrigação na Universidade Católica de Leuven – Bélgica. Ele é especialista em evapotranspiração, balanço hídrico do solo, manejo da água na irrigação e produtividade de água das culturas. Ele viveu sete anos na África (Argélia, Senegal) trabalhando com Projetos de Irrigação e está envolvido em vários projetos internacionais, cooperando com a UNESCO (Programa Internacional Hidrológico) e FAO (Divisão de Solo e Água da Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas). Ele atua no desenvolvimento de softwares (ETo Calculator e AquaCrop – o modelo da FAO para simular resposta da produção das culturas em relação à água), e é co-autor da Manual 56 da FAO (Evapotranspiração das Culturas: orientações para o cálculo das necessidades hídricas) “, e Nr 66:”resposta da produção de culturas de água”.

 

Luis AlbertoLuis Alberto Santos Pereira

O Prof. Luis Santos Pereira é Engenheiro Agrônomo pelo Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa ( ISA- UTL) em 1969 . Tem Pós-Graduação em Operacional e Hidrologia Aplicada pelo Instituto Federal de Tecnologia de Lausanne , Suíça , de 1972. Ph.D. em Hidrologia pelo Instituto Federal de Tecnologia de Zurique , na Suíça, de 1977. Atualmente é Professor na área de Engenharia Agrícola, especialista em Irrigação, Solo e Conservação da Água e Gestão da Água no Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, ISA -UTL , desde 1980. Além disso, atua como Pesquisador pelo Biosystems Engineering, ISA – UTL. Pesquisador renomado e consultor internacional em vários projetos de irrigação em vários países, ele é autor de  importantes artigos em periódicos científicos internacionais. O Dr. Luis Santos Pereira é um dos autores do Manual da FAO 56 e juntamente com o Dr. Richard Allen e Dr. Dirk Raes, discutirá durante o INOVAGRI INTERNATIONAL MEETING , o passado e o futuro deste estudo que é a referência para a irrigação no mundo.

 

Bruno Cheviron

Atualmente no UMR G-EAU, Equipe OPTIMISTE (Otimização e Pilotagem das Tecnologias de Irrigação: Minimização de Entradas, Transferências no Meio Ambiente). Desenvolvimento / automação do modelo de cultura PILOTE (otimização de irrigação, cenários de mudanças climáticas); Análise / automação do modelo MACRO (fluxos de soluto no meio ambiente); Utilização de sondas de temperatura para estimar os fluxos de água no ambiente; Desenvolvimento de modelos de descarga-concentração de exportação de sedimentos fluviais.

 

Lineu Neiva Rodrigues

Lineu Neiva Rodrigues é doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa e pós-doutor pela Universidade de Nebraska-EUA, Lincoln, em engenharia de irrigação e manejo de água. Foi consultor da Organização dos Estados Americanos (OEA) e pesquisador visitante na Universidade da Califórnia-EUA, Davis, no departamento de estudos de terra, ar e recursos hídricos, onde desenvolveu trabalho em modelagem da hidrologia de área irrigadas. Foi membro titular da Câmara Técnica de Análise de Projetos e representante do Brasil na Plataforma de Recursos Hídricos e Tecnologia de Irrigação do Programa de Cooperação para o Desenvolvimento Tecnológico Agroalimentar e Agroindustrial do Cone Sul (PROCISUR). Atualmente é pesquisador na área de recursos hídricos e irrigação e supervisor do Núcleo de Articulação Internacional da Embrapa Cerrados. É professor da pós graduação do Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Viçosa e da Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP/Botucatu. É diretor de políticas públicas da Associação Brasileira de Engenharia Agrícola, membro do Comitê gestor do Portfólio de Projetos em Mudanças Climáticas de agricultura irrigada da Embrapa. É conselheiro titular do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) e presidente da Câmara Técnica de Ciência e Tecnologia. Atua como consultor científico de diversos órgãos de fomento à pesquisa e revistas científicas. Coordena o grupo de pesquisa do CNPq intitulado Rede Agrohidro.

 

Luis Henrique Bassoi

Engenheiro agrônomo (ESALQ / USP campus de Piracicaba). Mestre em Agronomia / Irrigação e Drenagem (FCA / UNESP campus de Botucatu). Doutor em Ciências / Energia Nuclear na Agricultura (CENA / USP campus de Piracicaba). Pós-Doutorado (University of California, Davis, USA ). Entre dezembro de 1994 e abril de 2015, foi pesquisador da Embrapa Semiárido em Petrolina – PE. A partir de maio de 2015, é pesquisador na Embrapa Instrumentação, em São Carlos – SP. Principais temas de pesquisa: física do solo, manejo de irrigação, fertirrigação, uso da água na agricultura e agricultura de precisão. Membro do corpo docente e orientador de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Agronomia (Irrigação e Drenagem) da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA), UNESP, campus de Botucatu.

 

Maria Betânia Galvão dos Santos Freire

Graduada em Agronomia pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, Mestre em Agronomia (Ciências do Solo) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco e Doutora em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade Federal de Viçosa. Pós-Doutorado em: Ecosystem Science and Management pela Texas A & M University e em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade Federal de Viçosa. Professora Associada da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Linhas de pesquisa: solos salinos e sódicos, manejo e recuperação de solos afetados por sais, solos de semi-árido, qualidade de água de irrigação, matéria orgânica, fitorremediação de solos salinos. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo da UFRPE.

 

Lourival Ferreira Cavalcante

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (1975), mestrado em Ciências (Energia Nuclear na Agricultura) pela Universidade de São Paulo (1978) e doutorado em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade de São Paulo (1985). Atualmente é parceria como membro de projeto de pesquisa da Universidade Estadual da Paraíba e professor permanente do ppga/cca/ufpb da Universidade Federal da Paraíba. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Conservação do Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: irrigação, salinidade, passiflora edulis, insumos naturais e salinidade da água.

 

José Francismar de Medeiros

Possui graduação em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura de Mossoró (1985), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal da Paraíba (1992) e doutorado em Agronomia pela Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é engenheiro agrônomo da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Pesquisador I-A do CNPq, docente permanente dos Programas de Pós-graduação em Fitotecnia e do de Manejo de Solo Água da UFERSA, onde atualmente é também membro do Colegiado deste último Programa, e é líder do Grupo de pesquisa “Manejo de água e solo na agricultura irrigada”. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultivo do melão e melancia, salinidade, fertirrigação e manejo de irrigação.

 

Hans-Raj-Gheyi

Hans Raj Gheyi

Possui graduação em Agricultura – University of Udai Pur (1963), mestrado em Ciências do Solo – Punjab Agricultural University (1965) e doutorado em Ciências Agronômicas – Universite Catholique de Louvain (1974). Atualmente é professor aposentado (titular) da Universidade Federal de Campina Grande, editor chefe da Revista Agriambi da Universidade Federal de Campina Grande, professor visitante nacional sênior na UFRB. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Água e Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: salinidade, irrigação, fertilidade, relação solo-água-planta, estresse salino, tolerância de plantas a déficit hídrico, qualidade de água e reuso da água.

 

Herminio Hideo Suguino

Possui doutorado em Agricultural and Irrigation Engineering pela Utah State University(1992). Atualmente é Analista Desenvolvimento Regional IV da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaiba – DF. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Água e Solo.

 

 

 

 

Raimundo Nonato Távora Costa

Graduado em Agronomia pela UFC (1982), Mestre em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela UFC (1988) e Doutor em Irrigação e Drenagem pela Esalq/USP (1994). Atualmente é Professor Titular da UFC. Linhas de trabalho: Irrigação por Superfície, Drenagem Agrícola e Racionalização de Água em Perímetros Irrigados por Superfície. Participou da Coordenação de Contratos de ATER entre o Cetrede e o Dnocs para os Perímetros Irrigados Públicos Federais.

 

Vera Lucia Antunes Lima

Possui graduação em Engenharia Agrícola (1984) e mestrado em Engenharia Civil (1991) pela Universidade Federal da Paraíba e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1998). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal de Campina Grande. Tem experiência na área de Irrigação e Drenagem, com ênfase em Tecnologia e Problemas Sanitários de Irrigação, atuando principalmente nos seguintes temas:reúso de água; movimento de solutos; eficiência de irrigação; culturas irrigadas; drenagem de terras agrícolas; propriedades físico-hídricas do solo.

 

José Amilton Santos Junior

Engenheiro Agrícola (2009), Mestre em Engenharia Agrícola (2010) e Doutor em Engenharia Agrícola (2013) pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Atuou entre 2011 e 2015 no Instituto Nacional do Semiárido, INSA/MCTI, como Gestor da Estação Experimental do INSA (Portaria INSA/MCTI nº 10 de 24 de agosto de 2011). Atualmente é Professor Adjunto, lotado no Departamento de Engenharia Agrícola da UFRPE/Sede. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Água e Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: aproveitamento de águas salobras, residuárias e amarelas na produção agrícola em condições de solo e hidroponia; manejo de oleaginosas e drenagem de terras agrícolas. Também já atuou em atividades de extensão rural e capacitação de comunidades rurais.

 

Jorge Ferreira

O Dr. Jorge FS Ferreira é formado em Engenharia Agrícola, MS em Frutas tropicais e um Ph.D. Em Horticultura pela Universidade de Purdue com ênfase em fisiologia e bioquímica de metabólitos secundários de plantas. Atualmente, Dr. Ferreira trabalha para o US Salinity Lab em Riverside, CA. Sua pesquisa centra-se nas respostas fisiológicas e bioquímicas das culturas agrícolas (como o morango e a alfafa) ao estresse da salinidade e ao uso potencial de marcadores bioquímicos para identificar a tolerância à salinidade. Ele está particularmente interessado em antioxidantes, açúcares e outros compostos que podem ser produzidos em resposta a altos níveis de estresse (sob a forma de ROS) desencadeados pela salinidade na água e nos solos.

 

Claudivan Feitosa de Lacerda

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (1991), mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal do Ceará (1995), doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (2000) e pós-doutorado pela University of California, Riverside (UCR) and US Salinity Laboratory/ARS/USDA (2014). Foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola/UFC no período de agosto de 2005 a agosto de 2009 e no período de maio de 2011 a abril de 2013. Foi também Presidente do XII Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, realizado em Fortaleza, Ceará (2009), e Coordenador do I e II Simpósio Brasileiro de Salinidade, realizado em Fortaleza, Ceará (2010 e 2014). Foi Vice Cordenador do Curso de Agronomia da UFC de 2011 a 2013 e atualmente é o Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola/UFC. É professor Associado III do Departamento de Engenharia Agrícola do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Ceará, Pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade (INCTSal) e Bolsista de Produtividade do CNPq. Atua como orientador de alunos do curso de graduação em Agronomia e de pós-graduação em Engenharia Agrícola (Mestrado e Doutorado) e Solos e Nutrição de Plantas (Mestrado). Atua principalmente nos seguintes temas: Eficiência no uso de água e de nutientes em plantas sob condições normais e sob estresse; Tolerância à salinidade de culturas anuais (sorgo, feijão-de-corda, milho, algodâo), perenes (coqueiro, cajueiro) e ornamentais; Estratégias visando a utilização de águas salinas e residuárias na irrigação; Manejo de solos salinos e sódicos; Ecofisiologia vegetal.

 

Marcos Eric Barbosa Brito

Possui graduação em Engenharia Agronômica, pela Universidade Federal de Sergipe (2005), Mestrado e Doutorado em Engenharia Agrícola, pela Universidade Federal de Campina Grande, UFCG, finalizados em 2007 e 2010, respectivamente, ambos na área de concentração de Irrigação e Drenagem. Foi coordenador do curso de Agronomia da Unidade Acadêmica de Ciências Agrárias, UAGRA, do Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar, CCTA, da UFCG, durante o período de janeiro de 2010 a dezembro de 2015, foi professor da UAGRA/CCTA/UFCG na área de Engenharia Rural, onde lecionou as disciplinas de Irrigação e Drenagem e Hidráulica Agrícola no curso de Agronomia de 2008 até 2017. Atualmente é bolsista de produtividade do CNPq, sendo consultor Ad hoc deste órgão, é professor Adjunto IV da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Campus do Sertão, lotado no Núcleo de Graduação em Educação em Ciências da Terra. Ademais, é professor permanente dos cursos de Pós-Graduação de Horticultura Tropical (PPGHT) e Sistemas Agroindustriais (PPGSA), ambos do CCTA/UFCG, onde leciona a disciplina Manejo de Irrigação para Fruteiras e Hortaliças e orienta estudantes dos cursos. Faz parte de equipes de pesquisa junto a Universidade Estadual da Paraíba, a Embrapa Mandioca e Fruticultura e a Embrapa Meio Norte, mantendo parcerias importantes para o desenvolvimento de pesquisas no semiárido. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Água e Solo, atuando, principalmente, nos seguintes temas: Ecofisiologia e produção de culturas irrigadas; manejo sustentável da água no sistema solo-planta-atmosfera, produção de mudas e cultivo de citros sob irrigação com águas de qualidade inferior.

 

Alexsandro Oliveira da Silva

Engenheiro agrônomo formado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) em 2010, mestrado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Facudade de Ciências Agronômicas (FCA) da Universidade Estadual Paulista (UNESP) Júlio de Mesquita Filho, câmpus de Botucatu-SP em 2012. Doutorado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Facudade de Ciências Agronômicas (FCA) da Universidade Estadual Paulista (UNESP) Júlio de Mesquita Filho em 2015 e Pós-doutorado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) em 2016. Atualmente é professor adjunto (nível A) da Universidade Federal do Ceará (UFC), onde leciona as disciplinas de irrigação e drenagem, desenho técnico e irrigação pressurizada. É Membro do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UFC em 2017, sendo um dos pesquisadores do GPEAS (Grupo de Pesquisa em Engenharia de Água e Solo no Semiárido). Atua em pesquisas ligadas a área de engenharia agrícola com concentração de pesquisas em irrigação e drenagem, atuando em linhas relacionadas aos seguintes temas: manejo da irrigação e salinidade do solo. As palavras mais encontradas em seu currículo são: fertirrigação, evapotranspiração e salinidade.

 

Helvecio Mattana Saturnino

Possui graduação em AGRONOMIA – UFV-Viçosa,MG (1966) e mestrado – Purdue University, USA (1970). Atualmente é presidente da ABID-Associação Brasileira de Irrigação e Drenagem; editor da revista ITEM – Irrigação e Tecnologia Moderna; Consultor e gerente de empreendimentos próprios, tem experiência na área de administração, com ênfase em projetos e gestão de agronegócios calcados na agricultura irrigada, em organização de sistemas cooperativos de pesquisas e inovações e em trabalhos de integração agrícola e pecuária e o sistema Plantio Direto.

 

Chandra A. Madramootoo

Doutor em engenharia agrícola na McGill Professor da Faculdade de Ciências Agrícolas e Ambientais, vice-diretor associado da Universidade McGill, membro da equipe de liderança acadêmica da Universidade McGill e professor da James McGill no Departamento de Engenharia de Bioresource. Especialista internacionalmente respeitado em gestão de mesa de água, irrigação, drenagem, qualidade da água, gerenciamento de bacias hidrográficas, recuperação de terras, pesquisa agrícola e desenvolvimento agrícola internacional. Atualmente atua como Presidente da Comissão Internacional de Irrigação e Drenagem (ICID) e foi vice-presidente da ICID de 2000 a 2003.

 

Helena Gomez Helena Gómez Macpherson

Engenheira Agrônoma (Universidade de Córdoba, Espanha) e PhD em Fisiologia Vegetal (CSIRO e da Universidade Nacional da Austrália, Austrália). Realiza pesquisa participativa em agricultura de conservação do solo e da água, intensificando a produção agrícola e desenvolvimento de sistemas viáveis ​​de acordo com critérios definidos pelas partes interessadas. Em particular: i) melhoria da produção irrigada sustentável de culturas locais para aumentar a segurança alimentar em áreas de risco e, ii) o aprofundamento em sistemas de agricultura de conservação viáveis ​​no sul da Espanha e da África para a conservação da água e do solo.

 

Morteza Orang

DWR, California, EUA.

 

Eduardo-Holzapfel.1Eduardo Antonio Holzapfel Hoces

Agronomist, University of Concepción, Chile. MSc in Water Science, University of California, Davis, 1979. Ph.D. Engineering Sciences, University of California, Davis, 1984. Did postdoctoral studies in optimization in water management at the University of Cordoba, Spain – 1988 Simulation Models of Irrigation Systems, University of Hannover, Germany, 1990, and Simulation Models of Agricultural Pollution, University of California, 2003. He is currently a professor at the University of Concepción, Chile.

 

Marcos Vinicius Follegatti

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) da Universidade de São Paulo (1981), mestrado em Irrigação e Drenagem – pela ESALQ (1985) e doutorado em Agronomia Solos e Nutrição de Plantas pela ESALQ (1988). Pós Doutoramento na University of Utah – Logan (1990/91), Pós Doutoramento na University of California – Davis (1992/93). Prof. Livre Docente em 1996. Professor titular da Universidade de São Paulo 2006. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Água e Solo, atuando nas áreas de irrigação, evapotranspiração, manejo da água em agrossistemas e gestão da água de bacias hidrográficas em comitês de bacias. Coordenador do Programa de Pós Graduação em Irrigação e Drenagem (1994-2002), Presidente e Vice Presidente da Comissão de Pós Graduação da ESALQ (1997-2003), Prefeito do Campus “Luiz de Queiroz (1999-2006), Coordenador da Câmara Técnica de Uso e Conservação da Água no Meio Rural do Comitê de Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí CBH-PCJ- CT Rural (2005-2007), Membro da CT-Rural (2005-atual), Membro da Câmara Técnica de Plano de Bacias do CBH-PCJ – CT PB (2011 – atual), Membro do Grupo de Trabalho – GT Cobrança do CBH-PCJ CT-PBl (2010 – atual), Membro do GT de Pagamentos por Serviços Ambientais – PSA do CBH-PCJ CT-Rural (2010-atual), Vice Presidente da Associação Brasileira de Engenharia Agrícola – SBEA (2005-06) e Presidente da SBEA (2007-09), Coordenador do Projeto de Intercâmbio Brasil – França BRAFAGRI- CAPES(2008-atual), Membro do Comitê de Assessoramento de Engenharia Agrícola do CNPq (2010-2012). Diretor do Polo de Ensino a Distância Semipresencial de Jaú USP-Univesp (2013-atual). Chefe do Departamento do Engenharia de Biossistemas – ESALQ/USP (2007-atual).

 

Gary Merkley

Engenheiro de irrigação e hidráulica, Engenheiro sênior de supervisão, Engenheiros de consultoria em recursos naturais, Inc .; Fort Collins, Colorado. Doutor em engenharia de irrigação da Utah State University e bacharel em engenharia agrícola pela California Polytechnic University. Suas atividades de pesquisa, extensão e educação concentraram-se na gestão da água de irrigação, operação e manutenção de sistemas de irrigação, concepção e avaliação de sistemas de irrigação agrícola e tópicos relacionados. Atualmente trabalha em vários projetos no oeste dos EUA e internacionalmente, incluindo gerenciamento de recursos hídricos para agricultura, projetos de sistemas de irrigação e desenvolvimento internacional. Anteriormente, ele era professor de engenharia na Utah State University por 30 anos.

 

Luciano Mateos

PhD em Agronomia, UCO, Espanha. Desenvolve pesquisa em engenharia, hidrologia de conservação da água de irrigação e do solo em sistemas agrícolas irrigados, em estudo das políticas e práticas de gestão de água que são de interesse social e consistente com a preservação e restauração do ambiente natural. Atua na pesquisa sobre sistemas de irrigação em grandes bacias e pequenos campos irrigados. Parte dessa pesquisa é feita nos países pobres, visando a segurança alimentar e a equidade social. Seus métodos e técnicas de pesquisa incluem testes, monitoramento “experimentos naturais”, modelagem, sensoriamento remoto, análise espacial.

 

Pedro Santos Fortes

Engenheiro Agrónomo pelo Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa (ISA-UTL). Mestre em Sistemas de Informação Geográfica (SIG) pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa (IST-UTL) pela mesma Universidade. É o Diretor do Departamento de Sistemas de Informação Geográfica da empresa Aigües del Segarra Garrigues, S.A. (ASG). ASG é uma PPP para a promoção do regadio de cerca 100.000 ha em Espanha. Uma parte fundamental do seu trabalho está centrada no desenvolvimento de software, com componente SIG, para melhorar os processos relacionados com a concepção dos projetos, obras e gestão das redes de rega de empresa. É o responsável do desenvolvimento da aplicação SIGOPRAM – Aplicação SIG para o dimensionamento e análise de redes de rega pressurizadas.

 

Mohamed Bazza

Possui mestrado e doutorado em ciências da terra e da água e mestrado em estatística pela Universidade da Califórnia. Mohamed Bazza passou mais de 30 anos no planejamento e gerenciamento de recursos hídricos, com foco na gestão da água na agricultura sob condições de escassez de água, modernização da irrigação e seca. Ele se juntou à Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) em 1998 e atualmente lidera seus trabalhos nas áreas de política de seca e governança água / águas subterrâneas, apoiando projetos de desenvolvimento em vários países. Ele já liderou o programa de recursos hídricos e irrigação da FAO na região do Oriente Próximo e Norte da África e serviu como assessor principal para um projeto Banco Mundial-FAO no Iêmen. Também foi professor e pesquisador em engenharia agrícola no Instituto de Medicina Agronômica e Veterinária Hassan II em Rabat, Marrocos.

 

Jeff Shaw

Southern San Joaquim Irrigation District, Califórnia, EUA.

 

Daniele Zaccaria

Assistente de Extensão Cooperativa no Departamento de Terra, Ar e Recursos Hídricos, da Universidade da Califórnia, Davis, especializado em gestão da água na agricultura e irrigação. Zaccaria completou seu Ph.D em engenharia civil e ambiental na Universidade Estadual de Utah. Ele atuou como Scientific Officer no Centro Internacional de Estudos Avançados do Mediterrâneo Agronômica na Itália antes de ingressar na faculdade UC Davis em 2013. Seu trabalho se concentra em unir soluções modernas de gestão da água na agricultura para melhorar a eficiência dos recursos na agricultura irrigada. A eficiência dos recursos visa dissociar o crescimento económico encargos ambientais. Quando este conceito é aplicado à agricultura irrigada, isto exige que o projeto e gestão de sistemas de irrigação permitam aos produtores a aumentar os lucros econômicos de atividades agrícolas, sem gerar efeitos ambientais adversos. Ele ajuda os agricultores a otimizar a gestão do solo, água e energia, e encontrar as melhores práticas para irrigação eficiente e sustentável. Quando o trabalho é ao nível de distrito e de projeto, ele utiliza abordagens analíticas para a avaliação de indicadores e modernização dos sistemas de irrigação. Seu objetivo final é melhorar a gestão da água na agricultura irrigada na Califórnia, usando abordagens de resolução de problemas em cooperação com os produtores, organizações de agricultores, conselheiros municipais e órgãos de gestão da água.

 

Jose Maria Tarjuelo.1 José Mª Tarjuelo Martín-Benito

É professor de Engenharia Agroflorestal na Faculdade de Engenharia Agrícola de Albacete e diretor do Centro Regional de Pesquisa da Água (CREA) de Castilla – La Mancha Universidade. Ele tem experiência profissional de mais de 30 anos dedicados ao ensino e pesquisa no problema de água e energia na irrigação, trabalhando para melhorar o projeto e operação de sistemas de distribuição de água e ajudando a agricultura irrigada como uma atividade sustentável. Autor de livros e monografias especializadas, geralmente em colaboração com outros autores. Ele tem mais de 100 artigos publicados (Gestão Agricultural da Água, Agronomy Journal, Ciência Irrigação, J. Engenharia de Irrigação e Drenagem, Transação de ASAE, Espanhol Journal of Agricultural Research, etc) e foi o diretor de mais de dez de doutorado.

 

Blake Sanden

Califória Irrigation Institute, California, EUA.

Gestão de Recursos Hídricos: conceitos e experiências em bacias hidrográficas e Hidráulica Aplicada às Ciências Agrárias.

 

 

 

Octávio Lagos

Engenheiro Civil Agrícola e Doutor em Engenharia da Universidade de Nebraska, Luis Octavio Lagos, atualmente é Diretor do Departamento de Recursos Hídricos da Faculdade de Engenharia Agrícola da Universidade de Concepção. Ele faz parte da equipe do Laboratório de Pesquisa e Tecnologias para a Gestão da Água na Agricultura, ITECMA2, e faz parte da equipe de gerenciamento do Centro de Pesquisa em Recursos Hídricos para Agricultura e Minas. Sua pesquisa centra-se principalmente nos recursos hídricos, engenharia aplicada aos sistemas de irrigação e gestão da água na agricultura. Isto é tornado visível através de sua pesquisa de irrigação de precisão com pivôs centrais e o estudo da quantidade de água necessária para cada cultivo usando imagens de satélite.

 

Débora Costa Camargo

Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2008), M.Sc em Engenharia Agrícola (Irrigação e Drenagem) pela Universidade Federal do Ceará (2010) e Ph.D em Ciencia e Ingeniería Agrária pela Universidad de Castilla-La Mancha (2013). Atualmente é coordenadora de pesquisa do projeto SAI do Instituto INOVAGRI. Sua principal parte da atividade está relacionada com o uso eficiente da água e a modelação do crescimento e desenvolvimento de cultivos. Desenvolve pesquisas ligadas a solução de problemas relativos ao uso da água na agricultura, em estreita colaboração com os agentes socioeconómicos. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Engenharia Agrícola, atuando principalmente no tema de agricultura irrigada e gestão de recursos hídricos.

 

Raimundo Rodrigues Gomes Filho

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal do Ceará (1986), mestrado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Universidade Federal do Ceará (1992) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2000). Ocupou o cargo de diretor da Faculdade de Tecnologia Centec – FATEC de Limoeiro do Norte, pertencente à estrutura organizacional do Instituto Centec, no período de 02/2007 a 30/03/2008. Foi coordenador de cursos de graduação e especialização em Tecnologia da irrigação na Faculdade de Tecnologia Centec, em Sobral, Ceará. Tem experiência em ensino superior e coordenação de projetos de pesquisa. Aprovou e coordenou os seguintes projetos: Curso de capacitação em gestão dos recursos Hídricos (Edital 048/2008 do CNPq), Curso de capacitação em hidrometria e gestão em recursos hídricos (Edital 037/2006 do CNPq), Laboratório de ensaios em equipamentos de irrigação (FINEP/CNPq), É orientador de alunos de iniciação científica e mestrado. Participou de várias bancas de conclusão de cursos de especialização, mestrado e doutorado. Atua na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, principalmente nos seguintes temas: avaliação de sistemas de irrigação, gotejamento, ensaios em equipamentos de irrigação, hidráulica, hidrologia, climatologia, movimento de água no solo, biodiesel e reuso de água. Foi professor adjunto na Universidade Federal de Goiás, Campus Jataí, no período de abril de 2008 a junho de 2013 e ocupou o cargo de coordenador no curso de Agronomia de 24/09/2012 a 20/05/2013. Atualmente é professor associado na Universidade Federal de Sergipe, lotado no curso de Engenharia Agrícola. Foi editor chefe da Revista Brasileira de Agricultura Irrigada no período de 2007 a 2013. É membro do Instituto de Pesquisa e Inovação na Agricultura Irrigada – INOVAGRI. Autor dos livros Gestão de Recursos Hídricos: conceitos e experiências em bacias hidrográficas e Hidráulica Aplicada às Ciências Agrárias.

 

Felipe H. Barrios Masias

BS, Ciência Agrícola, Universidad Nacional Agraria La Molina, Lima, Peru, 1997, Ph.D., Horticultura e Agronomia, Universidade da Califórnia, Davis, 2012.  Seu interesse centra-se nas interações planta-ambiente e como os traços afetam a eficiência do uso dos recursos na ecofisiologia e nos níveis comunitários. Sua pesquisa se concentra em encontrar soluções para restrições na produção hortícola de regiões áridas e semi-áridas do mundo.

 

César Serra Bonifácio Costa

Possui graduação em Oceanologia pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (1983), mestrado em Oceanografia Biológica pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (1987) e PhD in Biological Sciences – University of East Anglia (1992). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Tem experiência na área de Oceanografia, com ênfase em Oceanografia Biológica, atuando principalmente nos seguintes temas: ecologia de marismas, dinâmica populacional de plantas halófitas costeiras, fitorremediação de ambientes costeiros e biotecnologia de halófitas.

 

Pedro Dantas Fernandes

Graduado em Engenharia Agronômica pela Escola de Agronomia do Nordeste / Universidade Federal da Paraíba (1969), Mestrado em Fitotecnia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz / USP (1970-1971), Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas pela ESALQ / USP (1972-1974); cumpriu programa de Pós-doutorado na University of Arizona, Tucson/AZ, USA (1989/1990), em fisiologia da produção. Foi membro do Conselho Científico e Tecnológico do CNPq / Comissão Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, indicado pelo Presidente da República do Brasil, através de Decreto publicado no Diário Oficial da União, em 07/11/80, para o período 80-82 e reconduzido para o período 82-84, por Decreto publicado no DOU em 07/08/82. Foi Professor da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal / UNESP (1972-1977) e do CCA / UFPB (1977-1979) de onde foi transferido para a Engenharia Agrícola / UFPB, em Campina Grande. Após aposentadoria, em 06/10/2008, passou à categoria de Professor Voluntário, através de termo de adesão à Universidade Federal de Campina Grande, para atuação em Programas de Pós-Graduação. Em 16/10/2008 foi nomeado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia como Assessor Técnico do Instituto Nacional do Semiárido, assumindo a Coordenação de Pesquisa do Instituto até 15/06/2011, quando solicitou exoneração. Atualmente, é Professor Sênior da Universidade Estadual da Paraíba e continua como Prof. Voluntário da UFCG. Tem experiência na área de Agronomia e de Engenharia Agrícola, com ênfase em Fisiologia da Produção, atuando, principalmente, em estresse abiótico (salino, hídrico e hipoxítico/anoxítico), bem como, em Ecofisiologia de espécies da Caatinga. Até o momento, participou da publicação de número superior a 170 papers em revistas científicas especializadas e orientou/coorientou mais de 100 alunos, em vários níveis de qualificação, com 31 doutores já titulados sob sua orientação.

 

 Jorge Ferreira

O Dr. Jorge FS Ferreira é formado em Engenharia Agrícola, MS em Frutas tropicais e um Ph.D. Em Horticultura pela Universidade de Purdue com ênfase em fisiologia e bioquímica de metabólitos secundários de plantas. Atualmente, Dr. Ferreira trabalha para o US Salinity Lab em Riverside, CA. Sua pesquisa centra-se nas respostas fisiológicas e bioquímicas das culturas agrícolas (como o morango e a alfafa) ao estresse da salinidade e ao uso potencial de marcadores bioquímicos para identificar a tolerância à salinidade. Ele está particularmente interessado em antioxidantes, açúcares e outros compostos que podem ser produzidos em resposta a altos níveis de estresse (sob a forma de ROS) desencadeados pela salinidade na água e nos solos.

 

 José Francismar de Medeiros

Possui graduação em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura de Mossoró (1985), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal da Paraíba (1992) e doutorado em Agronomia pela Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é engenheiro agrônomo da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Pesquisador I-A do CNPq, docente permanente dos Programas de Pós-graduação em Fitotecnia e do de Manejo de Solo Água da UFERSA, onde atualmente é também membro do Colegiado deste último Programa, e é líder do Grupo de pesquisa “Manejo de água e solo na agricultura irrigada”. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultivo do melão e melancia, salinidade, fertirrigação e manejo de irrigação.

 

Adunias dos Santos Teixeira

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (1988), mestrado em Irrigação e Drenagem pela Universidade de São Paulo (1992) e doutorado em Engenharia Agrícola e de Biosistemas – University of California – Davis (2000). Atualmente é professor associado i da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Geoprocessamento, Agricultura de Precisão, Manejo de Irrigação e Otimização.

 

Fernando Bezerra Lopes

Professor adjunto A do Departamento de Engenharia Agrícola – DENA do Centro de Ciências Agrárias – CCA da Universidade Federal do Ceará – UFC na área de manejo de bacias hidrográficas. Doutor em Engenharia Agrícola (Manejo e conservação de bacias hidrográficas no semiárido) pela UFC, com período sanduíche no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em São José dos Campos, São Paulo (2013). Mestrado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Universidade Federal do Ceará – UFC (2008). Possui graduação em Recursos Hídricos / Irrigação pela Faculdade de Tecnologia CENTEC – Instituto Centro de Ensino Tecnológico, Unidade de Sobral, Ceará (2006).

 

Edivan Rodrigues de Souza

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural do Semiárido (2004); Mestrado (2007) e Doutorado (2010) em Agronomia (Ciências do Solo) pela UFRPE. É professor Adjunto, Nível IV, Departamento de Agronomia, UFRPE (2010-Atual). É professor permanente da pós-graduação em Ciências do Solo (2011-Atual) e Professor colaborador do programa de pós-graduação em Engenharia Agrícola (2012- Atual). Orienta e Co-orienta alunos de Pós-Graduação dos dois Programas. Foi Substituto eventual da Coordenação de Graduação em Agronomia (2011-2013) e da Pós-Graduação em Ciências do Solo (2012-2016). Atualmente é Coordenador do Curso de Agronomia (2013-Atual). É Editor Assistente da Revista Brasileira de Ciência do Solo e revisor científico das Revistas Agricultural Water Management, Acta Physiologiae Plantarum, Ecological Engineering, Journal of Arid Environments, Ciência Rural, Revista Ciência Agronômica e Agrária. Pesquisa temas relacionados a dinâmica da água no solo e relações solo- planta com ênfase em trocas gasosas, salinidade e relações hídricas. É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 2 – CA AG – Agronomia.

 

Renato Sílvio Frota Ribeiro

Engenheiro Agrônomo e Advogado, Ph.D. em Engenharia de Biossistemas pela Universidade do Tennessee (1998). Professor Titular da Universidade Federal do Ceará. Leciona disciplinas de Direito Ambiental, Projetos de Sistemas de Irrigação e Drenagem, Automação de Sistemas de Irrigação e Inteligência Artificial Aplicada, na Pós-Graduação e Direito Agrário, Direito Ambiental, Avaliações e Perícias Rurais e Desenho Técnico com CAD na Graduação. Realiza pesquisas na área de Engenharia de Biossistemas, com ênfase em conservação ambiental rural, notadamente água e solo, por meio de automação e controle de sistemas de irrigação, inteligência artificial aplicada, sensores, comunicação sem fio e atuadores.

 

Marlos de Souza

Marlos de Souza é formado em geografia/engenharia florestal, com mestrado em ecologia, pela Universidade de Brasília, fez doutorado em gerenciamento de recursos hídricos, na Universidade de Melbourne e pós-doutorado no Royal Melbourne Institute of Technology também de Melbourne, na Austrália, onde morou do ano 2000 até recentemente, quando mudou-se para Roma, na Itália, para assumir o cargo na Plataforma de Recursos Hídricos; Divisão do Solo e da Água; da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

 

Bruno Molle

P & D em tecnologias de irrigação e na forma como são operados. Desde 2005, gerente de um laboratório da Irstea (treinamento do Cemagref), membro do painel da EIA (European Irrigation Association).

 

Severíne Thomaz

IRSTEA.

 

Antônio Pires de Camagro

Possui graduação em AGRONOMIA pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2007), mestrado (2010) e doutorado (2012) em Irrigação e Drenagem pela Universidade de São Paulo. Atualmente é engenheiro da Universidade de São Paulo, atuando como Especialista em Laboratório no Departamento de Engenharia de Biossistemas (LEB/ESALQ/USP) e como Pesquisador no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Irrigação (INCT-EI), desenvolvendo atividades nas áreas de hidráulica, irrigação e instrumentação. Atua também como professor no curso de graduação em Engenharia Mecânica da FIEL-Faculdades Integradas Einstein de Limeira. Tem experiência em tópicos relacionados a circuitos elétricos, circuitos eletrônicos e microcontroladores.

 

José Antônio Frizzone

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1977), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1979) e doutorado em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (1986). Atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo. Foi Chefe do Departamento de Engenharia de Biossistemas da ESALQ/USP nos períodos 03/2003 a 03/2007 e 03/2011 a 03/2013. Foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Irrigação e Drenagem da ESALQ/USP no período 11/2002 a 11/2008. É o Coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Engenharia da Irrigação (INCT-EI) que tem sede na ESALQ/USP e líder do Grupo de Pesquisa do CNPq denominado de: Metrologia, Normalização e Qualidade em Irrigação e Drenagem. Coordena o Projeto Serviço de Assessoramento ao Irrigante – SAI, projeto executado no Distrito de Irrigação do Baixo Acarau-CE. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Irrigação, atuando principalmente nos seguintes temas: manejo da irrigação, hidráulica de sistemas de irrigação, otimização do uso da água, evapotranspiração, fertirrigação e simulação.

 

Lineu Neiva Rodrigues

Lineu Neiva Rodrigues é doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa e pós-doutor pela Universidade de Nebraska-EUA, Lincoln, em engenharia de irrigação e manejo de água. Foi consultor da Organização dos Estados Americanos (OEA) e pesquisador visitante na Universidade da Califórnia-EUA, Davis, no departamento de estudos de terra, ar e recursos hídricos, onde desenvolveu trabalho em modelagem da hidrologia de área irrigadas. Foi membro titular da Câmara Técnica de Análise de Projetos e representante do Brasil na Plataforma de Recursos Hídricos e Tecnologia de Irrigação do Programa de Cooperação para o Desenvolvimento Tecnológico Agroalimentar e Agroindustrial do Cone Sul (PROCISUR). Atualmente é pesquisador na área de recursos hídricos e irrigação e supervisor do Núcleo de Articulação Internacional da Embrapa Cerrados. É professor da pós graduação do Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Viçosa e da Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP/Botucatu. É diretor de políticas públicas da Associação Brasileira de Engenharia Agrícola, membro do Comitê gestor do Portfólio de Projetos em Mudanças Climáticas de agricultura irrigada da Embrapa. É conselheiro titular do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) e presidente da Câmara Técnica de Ciência e Tecnologia. Atua como consultor científico de diversos órgãos de fomento à pesquisa e revistas científicas. Coordena o grupo de pesquisa do CNPq intitulado Rede Agrohidro.

 

Fortaleza

Avenida Santos Dumont, 3131, Sala 802

CEP: 60150-162 | Fortaleza, Ceará

Faça uma ligação:

Telefone: (85) 3268-1597

Envie uma mensagem:

evento@inovagri.org.br

Facebook Twitter Twitter